quarta-feira, 17 de junho de 2015

3 Dicas para comprar sua primeira moto de trilha em um leilão.

Eae pessoal do blog Pimenta Motos tudo bem?  Voltei aqui para mais esse post. Quero antes justificar a minha ausência e o aparente abandono do blog. Ocorre que infelizmente não estou mais no mundo das trilhas, por vontade? Claro que não!!! Para sempre? Tão pouco. O que rola é que eu sofri um acidente na pista de motocross ( bati de frente com outra moto CRF 230 ) me machuquei bastante então resolvi vender a magrela é dá um tempo. Afinal estou quase me formando e vou voltar depois
com força total. Isso porém, não me afastou das trilhas em definitivo e estou sempre lendo e ficando por dentro do que rola.

A tempo aqui em Juiz de Fora um leilão de carros e motos, foi quando pensei em escrever essa matéria para mostrar as vantagens e desvantagens além da ótima oportunidade para comprar sua primeira motoca de trilha!!! Isso mesmo, dentre dezenas de motos apreendidas pela polícia em valores baixos pode sair sua primeira (tal vez não como você esperava) moto. O certo é que estes leilões podem representar, grande parte das vezes uma boa oportunidade para comprar a primeira moto de trilha. De certo se elas foram apreendidas é por que estava funcionando e rodando em via pública, de alguma forma também é uma jogada de sorte. 



1- Escolha a sua moto:


Todo leilão fornece umas cartilhas que demonstram o valor inicial do lance, a moto e identificam se está é recuperável ou sucata. Estar como sucato não tem nada a ver com estado de conservação da moto, são essas que vão virar as futuras motocas de trilha. É importante ter em mente que você não conseguirá ver a moto funcionando por isso deve analisar todos os por menores das motos que deseja efetuar o lance para depois não se arrepender. Depois de ter analisado e escolhido as motos é hora do segundo passo.


2- Organize seu orçamento:


A primeira coisa que você deve fazer é organizar bem seu orçamento, deve ter em mente que se trata de um leilão, então estabelece qual tipo de modo deseja comprar como cilindradas, motor e ano, e veja até onde está disposto a disputar determinada moto. Além disso, é importante que você reserve algum dinheiro afinal, não se sabe que tipo de manutenção a moto vai precisar depois de ser comparada, tal vez seja essa a parte mais importante de todos.


3- Cuidado com os preços:


O que eu mais vi neste leilão ( e em outros ), pelo menos na minha cidade e o povo falando muita besteira. Tinha pessoas pagando mais caro do que se comprasse a moto rodando da mão de um particular, a organização dos preços também serve para que você não compre uma moto muito cara, pra isso pesquise o “valor de mercado” das motos que você selecionou para não acabar pagando mais caro do que deveria.




Em geral os leilões são uma ótima oportunidade para comprar sua primeira moto de trilha, basta apenas um pouco de cautela.

Piloto de motocross morre depois de sofrer acidente durante prova do Campeonato Paulista de MX

Homem caiu quando fazia manobra; ele foi atendido, mas não resistiu.
Competidor de 34 anos disputava etapa do Campeonato Paulista em Guare
O piloto de motocross Rodrigo Pereira Domingues, de 34 anos, morreu depois de sofrer acidente durante uma prova do campeonato estadual na tarde deste domingo (14) em Guareí (SP).



Que Deus o tenha!! e proteja nossas motos...

segunda-feira, 2 de março de 2015

Download GRATIS kit gráficos Tornado 250 / XR 250

   Olá pessoal do blog Pimenta Motos tudo bem? depois que crie o blog e coloquei algumas imagens dos kits gráficos da CRF 230 é do Tornado, recebo e-mail cotidianos pedindo para que eu enviasse os arquivos.
    Devido aos pedidos vou colocar aqui os kits gráficos criados por mim ( minha arte ) e as que eu já tinha da tornado!! posteriormente vou postar algumas artes prontas que eu vou fazer para CRF 230.

Então galera é o seguinte estou disponibilizando GRATUITAMENTE todos os arquivo que eu tenho, peço apenas para galera CURTIR  a nossa página no FACEBOOK, basta um único clique.

O LINK PARA DOWNLOAD SE ENCONTRA NO FINAL DO POST.














sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

DT 180 na trilha, um mito que parece nunca morrer.

  Depois de algumas observações reparei que para se divertir nas trilhas não são necessários acessórios de primeira linha, tão pouco motos importadas e nacionais em valores absurdos. É por isso que resolvi escrever algumas matérias nos relembrando das motos mais antigas que nos deparamos no barro e o quanto elas podem ser boas, basta esquecer um pouco o idealismo das competições é focar no que realmente importa: A diversão ( pelo menos no meu pensamento ).

   Se você já andou em uma DT 180 sabe que os seus 19,6 Cv parecem ser triplicados nas respostas rápidas do motor 2T, sendo suficiente ( os amantes das CRFs que me perdoem ) para deixar muitas motos nacionais para trás, incluindo a CRF 230 e a popular XR 200.
   

DT 180
Fabricante
Yamaha
Produção
Tipo
Moto Trail
Motor
176cc3, monocilíndrico, 2 tempos refrigerado à ar
19,6cv a 8.000 rpm
1,74 kgfm a 7.500 rpm
Transmissão
5 ou 6 marchas
Suspensão
D: Garfo Telescópico
T: Braço Oscilante (Monocross).
Freios
D: Disco com acionamento hidráulico e pistão simples;
T: Sistema de tambor de acionamento mecânico.
D: 2,75 X 21' MT40";
T: 110/80 X 18' MT40"
Tanque
13L com reserva de 1,1L


É verdade que a moto não tem baixa, o que dificulta o controle de sua aceleração, mas basta se acostumar com ela para perceber todo o potencial dessa pequena criança, contando com um bom par de pneus, não tenho dúvida que a DT 180 pode lhe proporcionar muitas horas de trilhas bem sucedidas.  Com toda certeza você vai encontrar aqueles que dizem que a moto não é boa, é verdade que a DT 180, assim como toda moto 2T tem uma mecânica delicada. Seu funcionamento depende de todos os componentes em perfeita harmonia, basta uma entrada falsa de ar para que tudo de errado.

Porém mecânica em dia é requisito essencial para se fazer uma trilha, fique de olho na mecânica da moto que no fim tudo irá da certo.  A ausência de partida elétrica pode ser um problema, já que pedalar cansado na trilha não deve ser nada agradável, mas já repararam que esse problema parece passar desapercebido quando falamos de uma moto importada? mistério!!

A DT 180 foi a primeira motocicleta considerada totalmente trail no Brasil, fabricada entre 1981 e 1997 ela fez história nas trilhas brasileiras e ainda sobrevive. Encontramos com um exemplar dela na 31ª edição do Enduro da Independência realizado este ano entre as cidades Vitória (ES) e Ouro Preto (MG).
Ao todo foram mais de 800 quilômetros de percurso na competição e a “DTzinha” aguentou firme 
"http://www.moto.com.br/acontece/conteudo/dt_180_a_rainha_das_trilhas_ainda_vive-68716.html"
Alguns ainda a considerarão com a rainha das trilhas. Particularmente penso que ela parece uma pequena baratinha, porém uma das bem rápidas.  Foi em  1988 que nos deparamos com  DT 180 Z, agora equipada com freio a disco dianteiro, o que a deixou ainda mais propensa para as trilhas, devemos nos lembrar que nem sempre a CRF 230 esteve presente em nossas vidas.  Não podemos deixar de lembrar que a DT 180 é uma moto leve, forte e que possui muita agilidade, requisitos estes essenciais para o esporte.



Se você está começando agora nas trilhas ou pretende comprar uma moto, não se acanhe em aparecer com uma DT 180, além de ter muita historia se trata de uma excelente moto, principalmente quando se condiciona o piloto.  Apesar da mecânica delicada o motor dois tempos é extremamente simples, você pode baixar o manual de serviço da DT 180 acessando este link: http://pimentamotos.blogspot.com.br/2014/04/download-manual-de-servico-dt-180.html

sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

Trilha, o mundo da ostentação

Olá pessoal do blog Pimenta Motos tudo bem? Espero que sim. Os poucos que acompanham o blog certamente já repararam quem não ando postando muitos textos. Isso ocorre por vários motivos, como estágio e faculdade. Mas especialmente por que não tenho mais moto de trilha, mas não se preocupe isso tudo é passageiro eu acho. Certamente muitos usuários vão descordar com esse texto, mas é assim que penso.

O tema de hoje é “Trilha, o mundo da ostentação”. Se que “ostentar” anda na moda ultimamente, particularmente odeio as músicas, mas se aplica bem ao mundo das trilhas. Quando comprei minha NX 150 , a primeira motoquinha logo percebi o quanto a ostentação era importante nas trilhas, em meio a guidões caríssimos, canos esportivos de valores absurdos etc. Muitos destes trilheiros atentos as roupas caras da Fox e acessórios ainda mais caros, parecem não desfrutar do simples prazer e da diversão oferecida por nossa queria DT 180 ou DT 200, sei que muitos devem ter torcido o nariz agora mas e a pura verdade.

O espirito aventureiro, a pura brincadeira fico encoberta pelas motos caras e pela pose de quem tem mais grana para gastar. Lógico que não critico quem tem boa condição financeira e pode ter uma moto melhor, uma roupa de trilha mais cara etc. Somente observo que nada disso é necessário para um domingo de muita zuera e lama. Muitas vezes ouvi certas pessoas ( não da pra falar quem né ) reclamando da DT 200 e 180 por causa do pedal. Falavam: "Não fica pedalando, a moto morre e ja era, mais uma peleja." Mas acabam comprando motos importadas exemplo a CRF 250 para Motocross que no pedal, e se quer tem descanso. 


Observo meus amigos falando e reclamando de motos mais antigas, é verdade que não foram feitas para essa atividade, mas vejo fotos do meu tio fazendo trilha de XLX 250, quando na época isso que era top, longe do conforto da CRF 230 e 250, guidão Protaper? Cano bellparts? Nada disso fazia diferença para ficar junto dos companheiros e se sujar um pouco. O recado de hoje é: Se você não pode ter uma CRF, WR, KTM, não fique triste saiba que sua moto atual pode te oferecer muitos finais de semana de diversão, BASTA ENCONTRAMOS OS AMIGOS CERTOS.

domingo, 23 de novembro de 2014

Dicas - Preparação de Cabeçote e Kits de potências duas faces da mesma moeda.


Olá pessoal que vem acompanhando o blog Pimenta Motos, esse post é mais uma dica rápida do que propriamente uma matéria. Todo mundo sabe o quanto apanhei do meu motor 150Cc ao tentar passá-lo para 200cc utilizando biela, pistão e cilindro da XR 200. Muitas pessoas me chamaram de leigo, de que não sabe de nada, em fim... nenhuma novidade que eu já não soubesse uma vez que não sou profissional mas um trilheiro amador comum que está aqui para compartilhar minhas experiências com vocês. Apesar de toda perda de tempo uma coisa eu aprendi:  Quando falamos de preparações de motores , falamos de gastos altos.

Mas vamos ao que interessa, muitas pessoas vêm acessando  lojas especializadas atrás de kits de potência, acreditando que eles sejam um verdadeiro milagre! a verdade é que esses kits de potência muitas vezes não passam de enganação, oferecendo pouco ou quase nenhum ganho de potência.  Ocorre uma vendeira enganação, seja explicitamente pelos anúncios ou pela omissão de informações (essa é minha opinião). Antes de realizar um aumento de cilindrada  não se iluda de que tudo será às mil maravilhas e seu gasto vai se resumir ao kit de aumento de potência



Carburação:

Dependendo do aumento de cilindra será necessário um ajuste mais agressivo (conforme a preparação ) levando muitas vezes até a troca do carburador para conseguir alimentar o motor com o novo kit de potência instalado. Sem essa medida certamente você terá uma grande perda de potência até pior do que estava antes. Em outros casos a troca do giclê de alta e baixa pode acabar solucionando o problema, em outros casos abaixar ou levantar a agulha do carburador também pode ser a solução. Mas fique esperto, caso necessitar da troca de carburador, será uma preparação que muitas vezes pode sair do seu orçamento.



Preparação de cabeçote:

Esse é outro item caro e de muita importância. Muitas vezes é feita a troca do carburador e instalado o kit de potência, mesmo assim não se tem o ganho esperado do novo motor, tendo como resultado uma moto frouxa. Isso ocorre por que é necessária uma preparação no cabeçote da moto, abrindo por exemplo a entrada de ar e combustível e do mesmo jeito o escape, A preparação de cabeçote é muitas vezes associada com o carburador mais importante que o kit de potência. Não adianta um carburador ideal se o cabeçote não consegue a quantidade de ar e combustível necessária para uma combustão eficiente. Esse é muitas vezes o fator que acaba nos deixando frustrados depois de uma preparação no motor.

Um exemplo muito interessante são os kits de 300Cc para XR 250 ( Tornado ) é possível a troca e aparentemente o bom funcionamento do motor. Mas ao comparar um motor 250 e outro 300Cc com o kit instaldo senti que o motor original oferecia muito mais ganho. Isso por que não tivemos uma preparação de cabeçote e carburador para acompanhar a mudança do cilindro e pistão.  Um pistão tachado forjado com uma boa preparação no cabeçote pode ser muito mais lucrativo.

A pouco tive uma XR 280Cc completamente preparada, nítida a mudança de potencia batendo até mesmo as tornados 300Cc. Porém a XR tinha uma preparação de cabeçote fortíssima. As CRFs 230 com o pistão 240 é um bom exemplo, uma preparação no cabeçote, mudança no gigles e agulha da moto proporcionariam uma potencia muito maior, mas não é o que vemos na pratica. Em resumo: Não existe almoço grátis!!! se quer preparar um motor prepare o bolso!!

É isso aí pessoal!!!